Lázara Design comemora seus 25 anos durante o 24o Minas Trend

Há 25 anos, Lázara começou a trilhar um novo caminho, repleto de fé, empreendedorismo e ousadia, que resultou no sucesso de sua Lázara Design. Em 1991, sem compreender a dimensão de seu futuro, Lázara se lançou como artesã, quando ainda exercia a profissão de bancária. O dom natural para criação, aliado ao trabalho persistente permitiu que os dias no banco fossem deixados para trás e o mundo da moda vivido de forma integral e intensa.

A ousadia é sua marca registrada – Lázara Design é referência no Brasil em maxi colares com materiais como cristais Swarovski, correntaria, resina, couro, dentre outros. As bijus finas, colares, brincos, pulseiras e anéis são destaque na mídia nacional, assim como em novelas. Além disso, as peças fazem parte do acervo pessoal de diversas celebridades que desfilam com elas no dia a dia e as postam em suas redes sociais, como Sabrina Sato e Adriane Galisteu.

Lázara Design tem em sua missão a valorização da mulher, de forma que suas peças sejam instrumentos de enaltecimento da beleza e da diversidade feminina.

Suas bijus são fortes, ousadas, alegres e elegantes como a própria Lázara e suas consumidoras.

Sobre a coleção Revival

 A Lázara Design está comemorando 25 anos, e a coleção Revival é uma celebração de sua trajetória, com  reedição peças icônicas da história da marca, assim como releituras.

 A participação no desfile Trendbijoux by Sindijoias MG é um resumo desta história em 04 looks: 

As pérolas, menina dos olhos da marca, resgatando o glamour e excesso dos anos 80.

Os colares curtos com várias voltas de couro, trabalhados em vários modelos de elos de metal, uma referência as valorosas mulheres africanas.

Muranos, cristais coloridos, metais e fios encerrados, releitura da peça que lançou a marca mercado.

 As franjas em Strass coloridos, que estão em alta novamente. Como diferenciais desta coleção os headbands e as tornozeleiras,

http://lazaradesign.com.br

Nas imagens, a própria Lázara modelando suas peças icônicas. crédito: Gustavo Amorim 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *